HIPERBREVES

CARTA

Escrito por Andréa Bianchi
Quando viu o que estava escrito soube logo que não era bom. Não que pudesse mudar a escrita, mas fechava os olhos e sonhava que pudesse não estar lendo corretamente e que o que ali estava era outra coisa. Negar é tudo que se pode fazer para não ver o óbvio. Se trancasse as palavras na gaveta o tempo as apagaria? Alguns livros quando envelheciam amarelavam tanto… algumas impressões apagavam com o tempo…. E a verdade? Seria ela suscetível ao passar do tempo? Talvez fosse melhor levar os dias como se nada tivesse mudado, assim com o passar do tempo saberia se afinal a verdade iria superar todo o sonho ou não. Talvez a verdade fosse abrandando com o tempo, ou ganhasse um tom mais ameno. Seria assim a verdade, como um gosto que se estranha a princípio? Lembrava da primeira vez que bebeu cerveja, do quanto era amarga, e achou graça. Achar graça ainda era possível. Fechou os olhos, apagou a luz e deixou para pensar sobre tudo no dia seguinte. Talvez o sol iluminasse suas idéias.

| Andrea Bianchi |

Últimos posts por Andréa Bianchi (exibir todos)

Andréa Bianchi

Não estou pronta ainda, todos os dias alguma coisa muda em mim... Vivo no Rio de Janeiro.