HIPERBREVES

DESCOBERTAS

Quando criança, ela não se despedia das pessoas nem dos locais – achava que todos duravam para sempre e que sempre poderia voltar para os lugares onde era mais feliz. Também acreditava ser possível atrasar as horas, tocar estrelas, minimizar as dores – e pensava que chorar era só um jeito de facilitar os desejos. Mas enquanto crescia, a realidade despejava, em pequenas golfadas, descobertas tristes. A infância e suas delicadas alegrias iam ficando soterradas num sótão interior, transformando-se em lembranças remotas, enquanto a vida urgente ia exigindo que crescesse, assumisse responsabilidades, fizesse escolhas, virasse a moça dos sonhos de alguém. Agora, às margens dos cinquenta anos, ela tenta juntar seus pedaços para ser a mulher inteira que, mais adiante, vai olhar para todas as que foi sem arrependimentos – só saudade.

| Débora Böttcher |

Últimos posts por Débora Böttcher Lessa (exibir todos)

Débora Böttcher Lessa

Formada em Letras, com especialização em Literatura Infantil e Produção de Textos. Participou do livro de coletâneas "Acaba Não, Mundo", do site "Crônica do Dia", onde escreveu por 10 anos. Publicou artigos em vários jornais. Trabalha com arte visual/mídias. Administra esse mini portal - que é uma junção dos sites Babel Cultural, Estilo 40, Hiperbreves e Papo de Letras.