HIPERBREVES

DESLEMBRANÇA

Escrito por Carla Dias
Parada no meio da sala. Olhos estranhando claridade. Não se lembra de ter chegado onde está, de ter saído da cama. Estava sonhando, disso se lembra. Sonhando com uma cidade pulsante, seus carros e transeuntes brigando por espaço. Agências bancárias em cada esquina, crianças malabaristas a cada semáforo. Shopping Center fazendo a vez de parque, trens indo cada vez mais longe pelos seus túneis cada vez mais secretos. Frequentadores de estações defendendo o direito de não baralhar cores, que aquele que anda na Azul não deve se misturar com quem se equilibra na Lilás. Linhas. Acha que é bobagem, que adora uma baldeação, que nela mora a diversão das cores e dos trens. “Meu nome?”. Não se lembra de ter trocado de roupa, saído do pijama, colocado tênis. Cabelo? Penteado esquisito. Agonizando nesse não saber o que se passa, olha a sua volta, para então se surpreender: não faz a menor ideia de onde está ou quem é. “Tem alguém aí?”, murmura, para então engasgar com o silêncio que lhe responde.

| Carla Dias | 

Shadows © Paul Delvaux
Últimos posts por Carla Dias (exibir todos)

Carla Dias

Autora de "Estopim", "As Asas da Borboleta", "Jardim de Agnes", "Os Estranhos" e "Azul", além de participação com contos e crônicas em mais quatro coletâneas - entre elas, "Acaba Não, Mundo", do site "Crônica do Dia", onde ainda escreve às quartas-feiras. Trabalha como Produtora de Eventos junto à baterista Vera Figueiredo [IBVF Produções]. Vive em São Paulo.