HIPERBREVES

DISFARCE

Escrito por Fausto Rêgo
Odiava noites de autógrafos. Tinha horror. Quando lançar meu livro, dizia, não sento naquela cadeira nem amarrado. Insuportável a ideia de ficar horas ali, a mentir sorrisos e ouvir falsos elogios de gente que jamais o leria e, ainda assim, faria questão de uma dedicatória. Comprou o livro no balcão e resmungou seu nome à vendedora, que o anotou no papel cuidadosamente inserido sob a capa. Pegou seu exemplar e enfrentou a fila, resignado. Quase uma hora depois, estava diante da mesa do autor. Mal saiu da livraria e dobrou a esquina, desfez o disfarce. Contemplou a obra, admirou seu nome estampado na capa e não conseguiu esconder o orgulho.
| Fausto Rêgo |

Últimos posts por Fausto Rêgo (exibir todos)

Fausto Rêgo

Jornalista. Autor, em parceria, de uma filha de 16 anos que é sua única obra publicada. As demais estão por aí, escondidas em blogs como o "Sobretudo". Vive no Rio de Janeiro.