HIPERBREVES

FILHOS

Mãe amorosa de quatro filhos, sem manual de instrução como é próprio da maternidade, ela fez o que parecia mais certo ante tão árdua tarefa e até já se orgulhou de seus feitos. Mas agora, do alto de sua terceira idade, sempre que os olha tem a sensação de ter criado quatro estranhos. Onde andará aquela menina de cabelos cacheados e riso maroto? E aquele rapazinho que amava Tênis e Futebol e tinha os olhos mais sonhadores do mundo? Cadê aquela menininha tímida que devorava livros através de seus óculos de aros vermelhos? E em que lugar se esconde aquele que lhe corria aos braços, sempre sedento de um beijo, o mais terno e amoroso de todos? Ela se perde entre fotografias antigas e passa as mãos sobre cada rostinho com tanta saudade que tem a impressão de que eles nem existem. Adultos e ocupados com a pressa da vida, telefonemas e visitas são artigos de luxo. E ser Mãe, que dizem ser uma escolha tão doce, de repente tem o amargo gosto do fel – e uma ponta triste de desilusão.

| Débora Böttcher | 

Últimos posts por Débora Böttcher Lessa (exibir todos)

Débora Böttcher Lessa

Formada em Letras, com especialização em Literatura Infantil e Produção de Textos. Participou do livro de coletâneas "Acaba Não, Mundo", do site "Crônica do Dia", onde escreveu por 10 anos. Publicou artigos em vários jornais. Trabalha com arte visual/mídias. Administra esse mini portal - que é uma junção dos sites Babel Cultural, Estilo 40, Hiperbreves e Papo de Letras.