HIPERBREVES

NOIVA

Escrito por Deborah Brum
Colocou-se de noiva: naquele dia, decidiu que se casaria com alguém. Seguiu para a igreja matriz, em frente à praça principal. Postou-se firme na escadaria aguardando àquele que lhe juraria amor eterno. O vestido, pela manhã, era nude; ao meio-dia, já não mais havia qualquer vestígio de luz: foi se tornando cada vez mais alaranjado, até que sumiu com a chegada da noite sem lua, minguante. Largado numa das paredes de pedra da catedral, um homem sem forma: mendigo. Ofereceu-lhe uma nota: “Casa comigo?” Ele levantou os olhos devagar, deu um sorriso banguela e, segurando-lhe a mão, conduziu-a para uns goles no bar da esquina.

 

Últimos posts por Deborah Brum (exibir todos)

Deborah Brum

Artista Plástica com pós graduação em Arte Integrativa, atuou na área de Arte Educação Bienal. Atualmente, dedica-se a duas grandes paixões: filhos e literatura. Ministra oficinas infantis e juvenis e dá aulas de redação para vestibular. Escreveu também para a publicação digital/regional "Jornal D'Aqui", na Granja Viana.