HIPERBREVES

O PERDÃO

Escrito por Yolanda S. Meana
Aquela mulher perturbava-o lá no mais íntimo do seu ser, e ele não sabia lidar com essas sensações. Nunca lhe havia acontecido nada igual. Foi vê-la ali, de joelhos, a seus pés, submissa, com o olhar baixo, completamente entregue, para ele se descontrolar. Um vendaval de emoções desconhecidas acabou por invadi-lo, e ele suspirou. Aflita, a mulher levantou a cabeça e tentou desculpar-se: “Perdão senhor, não era minha intenção ofende-lo, pelo contrario. Saiba que entendo perfeitamente o seu desgosto. Às vezes, não consigo controlar-me. Se preferir, eu vou embora. Mas suplico-lhe que me perdoe”. Claro que a perdoava. Claro que entendia o seu proceder. Era ela quem, afortunadamente, não tinha percebido o motivo da sua perturbação. Por isso, aproveitou o momento e, com o coração a ponto de explodir, elevou o braço e, com um tom de voz mais brusco do que em realidade pretendia, disse-lhe: “Ego te absolvo a peccatis tuis in nomine Patris, et Filii, et Spiritus Sancti, amém”.

| Yolanda Serrano Meana |
Últimos posts por Yolanda S. Meana (exibir todos)

Yolanda S. Meana

Jornalista e escritora.
Vive na Granja Viana.