HIPERBREVES

REENCONTRO

Escrito por Yolanda S. Meana
Fazia já alguns dias que se sentia observada. Era uma presença sutil, um suspiro que dizia seu nome. Às vezes um vento tênue que lhe acariciava a pele. Outras a delicada claridade do luar a ilumina-la em plena luz do sol. Ela estava feliz, rejuvenescida. Cuidava das coisas como há muito não o fazia. Cantarolava. Teve um dia que até uns passos de baile chegou a dar. As companheiras da casa de repouso ficaram preocupadas. Tanta animação não era normal na sua idade. Nem decente, pensavam algumas. E o que dizer dos gritinhos noturnos que levantavam tanta suspicácia. Se até os colegas da ala masculina a olhavam diferente, com o olhar guloso de 40 ou 50 anos atrás. Ela não parecia perceber. Vivia ensimesmada. Finalmente ele apareceu num entardecer radiante e a convidou a passear. Ele aparentava eternos dezoito anos, ela dezesseis. A primavera despontava, o caminho se mostrava luminoso e florido. Encontraram-na no dia seguinte, sentada num banco do jardim. O sorriso estampado no rosto.
| Yolanda Serrano Meana |

Últimos posts por Yolanda S. Meana (exibir todos)

Yolanda S. Meana

Jornalista e escritora.
Vive na Granja Viana.