HIPERBREVES

SEGREDO

Escrito por Carla Dias
Concordam que é segredo, mas assim, em segredo, olhos vagando sonsos pelo recinto, como se vista nenhuma eles procurassem, enquanto, na intimidade do conhecimento compartilhado por eles, debulham frenesi, até alcançarem o ponto da saudade. Daí que seus olhares perdem toda a capacidade de serem astutos e diligentes, de se evitarem no intuito de impedirem o caos. Daí que até o caos lhes parece mais dócil quando seus olhares endoidecem, e se tornam permissivos e descarados, mergulhados no despautério da solidão, ela que fica logo a fim de cometer, poeticamente, o suicídio. Questionam, silenciosamente, o motivo de os olhares serem tão traiçoeiros, que toda encenação pode muito bem funcionar, mas quando ela chega ali, no degustar a imagem do outro, os olhares se tornam independentes e libidinosos, cavoucando a alma deles, pobres amantes com segredo já desvendado por todos, mas que insistem em alimentar suas almas com inconfessáveis confidências. 

| Carla Dias |
Últimos posts por Carla Dias (exibir todos)

Carla Dias

Autora de "Estopim", "As Asas da Borboleta", "Jardim de Agnes", "Os Estranhos" e "Azul", além de participação com contos e crônicas em mais quatro coletâneas - entre elas, "Acaba Não, Mundo", do site "Crônica do Dia", onde ainda escreve às quartas-feiras. Trabalha como Produtora de Eventos junto à baterista Vera Figueiredo [IBVF Produções]. Vive em São Paulo.