REFLEXÃ0

SOS AMAZÔNIA

A jornalista Renata Lo Prete nos lembrou no Jornal da Globo de 15/06/2022, quem começou as buscas por Bruno e Dom e as muitas respostas ainda não respondidas – nesse e em muitos outros casos de mortes na Amazônia e pelo Brasil de defensores dos Direitos Humanos, minorias e da Floresta.

Alguém vai dizer que governos anteriores também não se importavam. Eu concordo: nunca foi real prioridade de nossos governantes – essa turma de Brasília que nós elegemos só está preocupada com seus mandatos e a “boquinha” que é ser parlamentar, não com o País.

Mas nunca antes um governo validou invasões e deu permissão para matar como esse. E isso faz uma grande diferença. A maneira como B. trata jornalistas e todas as classes que defendem os excluídos, diz muito sobre tudo que acontece no Brasil nesse momento – e continuará acontecendo, especialmente na Amazônia, quando as forças armadas e a imprensa se deslocarem de Atalaia do Norte.

Em nota, a organização indígena Univaja reforça que já vem denunciando a realidade local, enviando uma série de ofícios com informações qualificadas ao Ministério Público Federal, à Polícia Federal e à Fundação Nacional do Índio, indicando a composição de uma quadrilha de pescadores e caçadores profissionais, vinculados a narcotraficantes, que ingressam ilegalmente em nosso território para extrair nossos recursos e vende-los nos municípios vizinhos. São vozes que reiteradamente passam informações através de denúncias às autoridades competentes – que não tomam nenhuma providência.

As manchetes mundiais atestam que o Brasil é um país que assassina seus defensores da Amazônia e dos índios, pintando mais uma vez uma mancha de sangue no nosso verde amarelo. Desolador…

Ficam nosso imenso lamento e um triste muito obrigada a Bruno e Dom por tudo e por tanto. E a pergunta que não pode ser calada: “Quem mandou matá-los?”

 

Arte: Cris Vector

Arte: Cris Vector

Últimos posts por Débora Böttcher Lessa (exibir todos)

Débora Böttcher Lessa

Formada em Letras, com especialização em Literatura Infantil e Produção de Textos. Participou do livro de coletâneas "Acaba Não, Mundo", do site "Crônica do Dia", onde escreveu por 10 anos. Publicou artigos em vários jornais. Trabalha com arte visual/mídias. Administra esse mini portal - que é uma junção dos sites Babel Cultural, Estilo 40, Hiperbreves e Papo de Letras.