CRÔNICAS LITERATURA

VALTER HUGO MÃE

Valter Hugo Mãe é um dos mais destacados autores portugueses da atualidade. Será o novo Saramago?

Conheci o autor ao ganhar de presente de uma amiga, no Natal do ano retrasado, o livro O filho de mil homens. De narrativa densa e um pouco complexa – pelo menos para mim, que ainda não conhecia seu estilo -, a história gira em torno do pescador Crisóstomo, “um homem que chegou aos quarenta anos e assumiu a tristeza de não ter tido um filho”.

Com vontade imensa de ser pai, o protagonista conhece o órfão Camilo, que um dia aparece em sua traineira. Num cenário de aldeia rural, terra batida e distante de tudo, os sonhos anulados de quem vive por ali é o mote para uma melancolia que impressiona, atravessando pela solidão, escancarando preconceitos, vontades reprimidas, um tipo de amor de profunda pureza, e afável compaixão.

Nessa conjuntura, são os personagens que testemunham a invenção e construção de uma família em vinte capítulos, escritos com rara delicadeza.

Passou a infância em Paços de Ferreira e em 1980 mudou-se para Vila do Conde.

Licenciou-se em Direito e fez uma pós-graduação em Literatura Portuguesa Moderna e Contemporânea na Faculdade de Letras da Universidade do Porto.

Em 1999 foi cofundador da Quasi edições, na qual publicou obras de Mário Soares, Caetano Veloso, Adriana Calcanhotto, Manoel de Barros, António Ramos Rosa, Artur do Cruzeiro Seixas, Ferreira Gullar, Adolfo Luxúria Canibal e muitos outros.

Codirigiu a revista Apeadeiro, de 2001 a 2004 e em 2006 funda a editora Objecto Cardíaco.

A sua obra está traduzida em variadíssimas línguas, merecendo um prestigiado acolhimento em países como o Brasil, a Alemanha, a Espanha, a França ou a Croácia.

Publicou os seguintes romances: Homens Imprudentemente Poéticos, A desumanização; O filho de mil homens; a máquina de fazer espanhóis (Grande Prémio Portugal Telecom Melhor Livro do Ano e Prémio Portugal Telecom Melhor Romance do Ano); o apocalipse dos trabalhadores; o remorso de baltazar serapião (Prémio Literário José Saramago) e o nosso reino.

Escreveu alguns livros para todas as idades, entre os quais: O paraíso são os outros; As mais belas coisas do mundo e O rosto.

A sua poesia foi reunida no volume contabilidade, entretanto esgotado.

Publica a crónicas “Autobiografia Imaginária” no Jornal de Letras e apresenta um programa de entrevistas breves no Porto Canal.

Valter Hugo Mãe nasceu em 25/09/1971 em Angola

Na web: Facebook |  Twitter  | Instagram

Assista à sua entrevista no Programa do Jô.



Via Escritores online

Últimos posts por Débora Böttcher Lessa (exibir todos)

Débora Böttcher Lessa

Formada em Letras, com especialização em Literatura Infantil e Produção de Textos. Participou do livro de coletâneas "Acaba Não, Mundo", do site "Crônica do Dia", onde escreveu por 10 anos. Publicou artigos em vários jornais. Trabalha com arte visual/mídias. Administra esse mini portal - que é uma junção dos sites Babel Cultural, Estilo 40, Hiperbreves e Papo de Letras.